Exército anuncia prisão de 2 sargentos por crime em parada gay do Rio

Estudante foi baleado no Arpoador e suspeita-se que disparo tenha vindo de arma de um dos militares

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2010 | 14h26

RIO - Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) anunciou esta quinta-feira, 18, que dois sargentos foram presos preventivamente por envolvimento no caso do estudante baleado após a Parada Gay de Copacabana, na noite do dia 14 de novembro.

 

De acordo com o CML, "medidas investigatórias preliminares e exames periciais realizados" apuraram que os 3º sargento Ivanildo Ulisses Gervásio e o 3º sargento Jonathan Fernandes da Silva foram os militares que agrediram as pessoas no Parque Garota de Ipanema, no Arpoador, zona sul do Rio, e um deles atirou em D., de 19 anos. A Polícia Civil investiga o envolvimento de outros militares e se eles tinham um esquema de extorsão dos frequentadores do parque utilizado para encontro de casais homossexuais.

 

De acordo com o Exército, o Inquérito Policial Militar (IPM) foi instalado logo após a denúncia do fato. O jovem agredido está na 14ª Delegacia de Polícia do Leblon para reconhecer os agressores. Na parte da tarde, a Polícia Civil deve realizar uma reconstituição da tentativa de homicídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.