Exército irá para ruas de SP "quando necessário", diz Lula

As tropas do Exército irão para as ruas de São Paulo "quando necessário". A declaração foi dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista coletiva concedida no 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve, em Barueri, na Grande São Paulo, nesta sexta-feira. 11. "Na medida que houver necessidade, o Exército brasileiro tem 10 mil homens para ajudar a Polícia Militar de São Paulo, o Estado de São Paulo e principalmente a sociedade paulista, que não merece passar pelo que está passando", disse o presidente, ao reiterar a oferta ao governo estadual da participação do Exército para o combate à criminalidade no Estado."A necessidade não é determinada por um ataque (criminoso), mas pela logística dos comandos (da Polícia Militar e do Exército)", acrescentou o presidente.Tanto Lula quanto o governador Cláudio Lembo esquivaram-se em detalhar os termos do encontro mantido por cerca de 40 minutos no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, na manhã de hoje. "Vocês verão mais integração na próxima semana, de mais pessoas, uma integração mais intensiva", disse o governador, numa entrevista tumultuada.Indagado se a administração estadual requisitou a presença das tropas do Exército nas ruas do Estado, uma vez que pesquisas indicam que mais de 80% dos paulistas entrevistados apóiam tal iniciativa, Lembo rebateu com uma pergunta: "por que as pessoas querem as tropas nas ruas?". O próprio governador não quis estender o raciocínio, limitando-se apenas a dizer que ajuda federal "já existe", e que há integração entre os comandos da Policia Militar paulista e do Exército. Depois de almoçar com Lembo e integrantes do Exército, Lula seguiria para o Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.