Exército quer que a Câmara lhe confirme poder de polícia

A aprovação, pelo Senado, do projeto que dá poder de polícia às Forças Armadas foi comemorada hoje pelos comandos militares que defendem um respaldo legal da tropa nas ações como as que ocorreram no passado no Rio de Janeiro e no final de semana em Minas Gerais. O comandante do Exército, general Francisco Albuquerque, destacou a importância da nova lei, alegando que "era o que faltava", e acentuou que "ela dá o suporte legal necessário para que as forças possam cumprir sua missão constitucional". Em seguida, o general apelou à Câmara para que aprove o texto o quanto antes, a fim de que a lei entre logo em vigor, já que a população está muito preocupada com a necessidade de combate ao crime organizado."Esta legislação atende aos momentos atuais que a sociedade está vivendo, seja na fronteira, seja nas grandes cidades, noemprego da garantia da lei e da ordem, em ações urbanas", declarou o general. Ele esclareceu ainda que essa atribuição dos militares, de forma mais permanente, está diretamente vinculado à uma cobrança da sociedade, por causa das mudançashavidas na organização do crime e no fortalecimento do narcotráfico. A aprovação desta lei não exigirá do Exército, segundo o general Albuquerque, treinamentos diferenciados. "O Exército já se prepara normalmente", comentou o general, explicando que a Constituição já previa este tipo de ação, tanto do ponto de vista doutrinário, quanto de treinamento operacional. O general destacou a importância de existir uma legislação protegendo os militares, quando eles forem atuar como polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.