Exonerada administradora do Ibirapuera

Caos no parque leva secretaria a trocar dois funcionários e empresa que fazia manutenção entrega contrato

Vitor Hugo Brandalise, O Estadao de S.Paulo

15 de janeiro de 2009 | 00h00

Os problemas na limpeza e manutenção do Parque do Ibirapuera, revelados ontem pelo Estado, resultaram na exoneração da administradora do local, Francisca Cifuentes, e do engenheiro agrônomo Henrique Mumme Herger da Silva, assistente técnico da administração e fiscal do contrato com a empresa que deveria ter zelado pelo parque, a Servimarc Construções Ltda.. A decisão foi tomada pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.Ontem mesmo a empresa Servimarc, responsável há seis anos pela manutenção da mais tradicional área verde de São Paulo, decidiu deixar de prestar serviços no local. Segundo um de seus diretores, João Paulo Terreran, a Servimarc "não tem condições financeiras de dar continuidade aos serviços prestados no Parque e entregou o contrato hoje (ontem)".Sobre essa decisão, a Secretaria informou, em nota, que "avalia as justificativas da empresa e que pode chegar à rescisão do contrato". "Se isso acontecer, a Secretaria está preparando nova contratação", limitou-se a afirmar, sem informar como será feita a manutenção dos parques a partir de hoje. O novo pregão para contratação de empresa para manutenção do Ibirapuera está marcado para o dia 26. Segundo Terreran, na reunião com a Secretaria do Verde, a empresa também anunciou que vai entregar os contratos dos outros três parques municipais cuja manutenção é sua responsabilidade (Cemucam, Vila do Rodeio e Parque Anhanguera). Entre as dificuldades que a reportagem mostrou ontem estão a falta de coleta de lixo, de irrigação das plantas e de roçado dos gramados. Em 2008, a Servimarc foi multada em R$ 154 mil, por descumprimento de cláusulas contratuais.O motivo oficial para a exoneração dos funcionários da administração do Parque, segundo a Secretaria, é uma "falha de coordenação". "A falha de coordenação ocorrida nesta segunda e terça-feira é injustificável", informou, por meio de nota. "Foi a solução mais fácil que encontraram. Enviávamos notificações à Secretaria mensalmente e todas as multas foram baseadas no que constatamos. É outro exemplo de problema que estourou para o lado mais fraco, uma grande injustiça", disse Silva, ao saber da exoneração. Os pedidos do Estado de entrevista com um porta-voz da Secretaria para explicar os motivos das exonerações não foram atendidos.DIA SEGUINTEEm dia de menor movimento, por causa da chuva, o Parque do Ibirapuera ontem mostrava sinais de melhora em relação ao dia anterior, quando sacolas tomaram os passeios por boa parte do dia. Mesmo assim, com problemas nos equipamentos - dos três carrinhos elétricos destinados a retirar o lixo, somente um está funcionando -, a situação não foi totalmente normalizada e ainda era possível verificar grande quantidade de sacolas jogadas próximas às lixeiras do parque. Na noite de anteontem, conforme prometido pela Servimarc, dois caminhões retiraram o lixo que se acumulava desde 29 de dezembro no depósito do parque, próximo ao Portão 5. Na tarde de ontem, porém, o depósito estava quase cheio novamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.