Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Expectativa positiva sobre Dilma é de 62%

Lula, que bate recorde de aprovação na pesquisa CNI/Ibope, obteve 67% em 2002

Andrea Jubé Vianna, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2010 | 00h00

Os brasileiros encerram este ano satisfeitos com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e otimistas em relação ao governo Dilma Rousseff. Conforme pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem, a expectativa em relação à gestão da petista no Planalto é ótima ou boa para 62% dos entrevistados.

Apenas 9% estimam que o próximo governo será ruim ou péssimo, e 18% acreditam que Dilma será melhor do que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para 58% dos entrevistados, a próxima gestão se equivalerá à atual. Somados, esses dois índices aumentam a responsabilidade de Dilma, pois Lula, segundo o mesmo levantamento, atingiu neste mês novo recorde de aprovação: 80% avaliaram sua passagem pelo Planalto como ótima ou boa.

Somente 14% dos entrevistados estimam que a gestão Dilma se mostrará pior do que a atual. Em 2002, a expectativa dos brasileiros em relação a Lula era de 67% de ótimo e bom.

Em termos regionais, a expectativa positiva para o próximo governo atinge 70% no Nordeste. Outro dado relevante diz respeito às mulheres. Segundo o Ibope, 79% das entrevistadas vislumbram um governo Dilma melhor do que o de seu padrinho político, enquanto, entre os homens, o porcentual é de 73%.

A pesquisa também investigou quais devem ser as prioridades da nova gestão: 51% dos entrevistados elegeram a área da saúde como a principal. Em seguida, veio educação, escolhida por 11% dos entrevistados. Em terceiro, ficou a segurança, com 7%. De acordo com o Ibope, o combate às drogas e o enfrentamento da fome e da pobreza empatam em quarto lugar, apontados por 6%. O controle da inflação e as reformas política e trabalhista são prioritários para 1%. Reformas importantes como a da Previdência e a tributária não atingiram nem 1%.

Aprovação. Lula entregará a faixa presidencial para Dilma ostentando altos índices de popularidade. Apenas 4% consideram seu governo ruim ou péssimo. A aprovação pessoal do presidente também atingiu nível histórico de alta, com 87% dos entrevistados avaliando-o positivamente, ante 10% que o desaprovam. Na pesquisa anterior, de outubro, a aprovação ao governo era de 77% e a pessoal, 85%.

A confiança dos brasileiros em Lula retornou ao nível recorde, de 81%, depois de ter recuado para 76% no levantamento de outubro, durante as eleições. A pesquisa divulgada ontem também fez uma comparação entre os dois mandatos do presidente. Para 44% o atual foi melhor do que o iniciado em 2003 e encerrado em 2006, enquanto 47% acham que seu desempenho foi igual em ambos os períodos.

No entanto, 54% dos brasileiros desaprovam as políticas públicas da atual gestão na saúde, e 51% a atuação de Lula no que se refere aos impostos. Esses dois temas foram muito explorados durante a campanha eleitoral e, logo após a vitória de Dilma, governadores deram início a um movimento pela recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). No entanto, em recente reunião com especialistas do setor, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, sede do governo de transição, Dilma afastou essa possibilidade.

A pesquisa CNI/Ibope ouviu 2.002 pessoas, entre 4 e 7 de dezembro. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.