Explosão de granada em morro do Rio deixa dois mortos

A explosão de uma granada na favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, neste domingo, 4, deixou dois mortos e quatro feridos. De acordo com a Polícia Militar (PM), o artefato teria sido detonado acidentalmente por um suposto traficante.O suposto traficante, Thiago da Costa Pains, de 22 anos, teria tentado conter uma discussão entre quatro jovens, na Rua Eliezer. Thiago e uma das jovens morreram. Outras duas ficaram feridas, assim como o pai e um irmão do traficante. A outra jovem sofreu apenas escoriações leves.Segundo relatos, Thiago estava ameaçando explodir a granada, caso a confusão entre as quatro não cessasse. No meio da discussão, ele teria retirado o pino do artefato, que explodiu. Ele morreu na hora, assim como Gilcimara Camargo Guimarães, de 26 anos, que participava da discussão.O pai de Thiago, Jorgenei Pains, disse que estava dormindo em casa e acordou com os gritos, durante a briga. Olhou pela janela e viu o momento em que o filho detonou a bomba. Estilhaços atingiram o seu olho esquerdo e ele está internado no Hospital Souza Aguiar, com lesão grave. No hospital, ele admitiu que Thiago tinha ligações com o tráfico local.Outro filho de Jorgenei, Ubirajara da Costa Pains, de 18 anos, também foi atingido por estilhaços enquanto corria para tentar apartar a briga. Rosana Isidoro Camargo, de 20 anos, que estava próximo a Thiago, está também internada em estado grave no Hospital Miguel Couto. A quarta jovem não foi identificada. O pai de Thiago informou que a briga foi motivada por "questões sentimentais. O caso foi registrado na 32ª Delegacia Policial (Taquara).Providência A PM informou que o clima era de tranqüilidade no domingo no Morro da Providência, no centro do Rio, onde na quinta-feira a estudante Denilza Maria da Silva, de 21 anos, morreu vítima de bala perdida durante suposto confronto entre traficantes e policiais. Na sexta-feira, o comércio da região permaneceu fechado supostamente para homenagear a morte de um traficante das redondezas. No sábado, porém, o funcionamento do comércio voltou ao normal e o clima já era de tranqüilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.