Explosão em laboratório da PF em Manaus mata um e fere três

Segundo a PF, explosão aconteceu durante perícia técnica em equipamentos apreendidos em operação

Liege Albuquerque, de O Estado de S. Paulo,

27 Fevereiro 2009 | 22h23

Uma explosão no laboratório de perícia da Polícia Federal em Manaus matou na sexta-feira, 28, o agente federal Antonio Carlos Oliveira. Outros três peritos ficaram feridos e foram encaminhados em estado grave para o pronto-socorro 28 de Agosto. A explosão, que não foi seguida de incêndio, aconteceu, de acordo com a PF, por volta das 17h30 (horário local) durante a realização de perícia técnica em equipamentos apreendidos em uma operação.   Até o final da noite de sexta-feira informações extra-oficiais davam conta que um dos feridos havia morrido no hospital. Em nota oficial, a PF se limitou a explicar as circunstâncias do acidente e afirmou que a "explosão no laboratório do setor técnico-científico" vitimou quatro peritos. No entanto, a morte foi confirmada por agentes que estavam no local logo depois da explosão.   A repórter do jornal A Crítica, Joana Queiroz estava dentro da sede da PF entrevistando um agente para uma reportagem no momento da explosão. "Foi um core corre, pessoas se atropelando e nenhuma informação. Mas pudemos ver pessoas sendo carregadas feridas. O repórter fotográfico fez imagens", contou.   Presos   A carceragem da PF, que fica embaixo do laboratório, abrigava sete presos no momento da explosão. Cerca de duas horas depois do acidente, eles foram transferidos em um microônibus para o Instituto Penal Antônio Trindade. O impacto da explosão afundou o teto do laboratório, mas agentes que estão no local afirmaram que nenhuma outra parte do prédio da superintendência foi atingida. As polícias Civil e Federal começaram a apurar ainda na sexta-feira as causas do acidente.

Mais conteúdo sobre:
Manaus Polícia Federal explosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.