Explosão em loja de fogos fere 3 em Seara (SC)

A explosão de uma loja de fogos de artifício deixou três pessoas feridas e causou pânico na pequena cidade de Seara, no oeste de Santa Catarina, na manhã de ontem. O estrondo foi sentido em todo o centro da cidade, de 20 mil habitantes, localizada a 540 quilômetros de Florianópolis. O acidente provocou a queda de energia elétrica em todo o município.Segundo a Polícia Militar, mais de 30 casas foram atingidas por destroços da explosão e pelo deslocamento de ar. Portas e janelas do Hospital São Roque, que fica a 100 metros da loja de fogos, ficaram danificadas. Testemunhas disseram que as explosões duraram cerca de três minutos e causaram danos em um raio de 300 metros. Um soldado que presenciou o momento do acidente afirmou que foram diversas explosões com um barulho ensurdecedor e que a população entrou em pânico, por não saber o que estava acontecendo. A rodovia SC-283, que liga Seara a Chapecó, ficou interditada por cerca de duas horas para a retirada dos destroços da loja de fogos, que ficou completamente destruída. A explosão ainda atingiu dois carros e duas motos, que estavam estacionados perto da loja. Policiais que fizeram o resgate das vítimas ficaram admirados de não haver vítimas fatais, já que a explosão teve um forte impacto. Ainda segundo a PM, o acidente ocorreu quando dois funcionários da Loja Tecsetel carregavam um caminhão com 30 quilos de explosivos para um show no Rio Grande do Sul, às 9h30min. O proprietário da loja, Gilmar Barbieri, e o funcionário Márcio Fonseca ficaram feridos e foram encaminhados para o Hospital São Roque, mas não correm risco de vida. A explosão reforça as campanhas de manejo correto de explosivos. Um inquérito deverá ser aberto para apurar as causas do acidente. Clientes da loja que faziam compras no momento em que começaram as explosões tiveram apenas ferimentos leves. Por causa do acidente, cerca de 15 homens do Corpo de Bombeiros da cidade que estavam de folga foram convocados para ajudar a conter as chamas na loja. MEDO NO HOSPITAL No Hospital São Roque, pacientes ficaram desesperados e tentaram escapar. Pedaços de tijolos, terra e outros destroços da loja de fogos de artifício destruíram muitos vidros do local. Os pacientes se lembravam do recente incêndio que também levou pânico ao Hospital das Clínicas, em São Paulo, e não sabiam o que fazer. "A primeira idéia foi sair correndo do hospital, mas vimos que lá fora desmoronava tudo", contou Nadia Figueiró, funcionária do hospital. "O som lembrou um ataque com bomba, daqueles que a gente assiste na televisão", disse o prefeito Edemilson Canale, que também presenciou as explosões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.