Explosão em mercado fere 7 em SP

Suspeita é de que houve vazamento de gás; casa vizinha, na Chácara Cocaia, foi condenada pela Defesa Civil

Jones Rossi, O Estadao de S.Paulo

12 de dezembro de 2008 | 00h00

O mercado Chacó, na Rua Doutor Leão de Araújo Novaes, na Chácara Cocaia, zona sul de São Paulo, explodiu ontem, às 6h30, deixando sete pessoas feridas, duas em estado grave, com queimaduras de 2º grau. As vítimas foram encaminhadas para três hospitais (Grajaú, Regional Sul e Vila Penteado) - três já tiveram alta. A explosão foi tão forte que destruiu completamente o mercado e a casa que ficava atrás da entrada dos fundos do mercado.Outra casa vizinha foi condenada pela Defesa Civil, que já determinou a saída dos moradores. Os destroços ainda atingiram e destruíram o muro e as janelas de uma residência que fica na Travessa Fábio Pereira Camilo, ao lado do mercado. O pesado portão de ferro do mercado foi parar na laje. E dois veículos estacionados na Travessa, um Palio e um Uno, também foram atingidos. Um bloco de concreto afundou o capô e quebrou o pára-brisa do Uno. O Palio foi atingido no porta-malas.GÁSO Instituto de Criminalística da Polícia Civil vai apresentar um laudo sobre o acidente em um mês, mas a hipótese mais provável é de que a explosão tenha sido causada por um vazamento de um botijão de gás. Uma das principais testemunhas ouvidas pelos investigadores, a técnica de telefonia Cristina Pereira da Costa, de 33 anos, tinha acabado de chegar em casa, quando houve a explosão. Ela tinha levado o filho para o ponto de ônibus. Tanto no caminho de ida quanto na volta sentiu "um forte cheiro de gás." A janela da cozinha de sua casa, de alumínio, foi atingida por um dos destroços e ficou amassada. "Foi um estrondo horrível", afirmou. Grávida de 5 meses, ela chegou a passar mal.Funcionários da Subprefeitura da Capela do Socorro tentavam ontem liberar o acesso à travessa, que ficou completamente tomada pelos escombros após a explosão. O fornecimento de água estava normal, mas as casas estavam sem energia elétrica e sem telefone. Segundo Antônio Carlos Dias, engenheiro da Defesa Civil e da Prefeitura, a Eletropaulo cortou a ligação de luz para evitar qualquer risco. Ele também disse que foram encontrados botijões de gás pequenos no mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.