Explosão mata brasileira e dois filhos em Portugal

Polícia investiga as causas do incêndio seguido de explosão que atingiu o sobrado onde a família morava

Rene Moreira, especial para Agência Estado,

22 Agosto 2012 | 20h06

FRANCA -Uma dentista brasileira de 40 anos e seus dois filhos, de 10 e 12 anos, morreram vítimas de uma explosão seguida de um incêndio, nesta quarta-feira, 22, na região do município de Faro, em Portugal. Luciana Pinheiro Gioso era de Cristais Paulista, no interior paulista, mas há anos residia naquele país.

A polícia de Portugal ainda investiga as causas do incêndio seguido de explosão que atingiu o sobrado onde a brasileira morava com a família. "O quarto começou a pegar fogo, por motivos que ainda não sabemos, e houve uma acumulação de gases que originou a explosão", falou à imprensa portuguesa Paulo Simões, comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António. Luciana Pinheiro era proprietária de uma clínica dentária em Vila Real de Santo António e residia em um condomínio na Quinta do Sobral, em uma área conhecida como Castro Marim.

O marido também atua como dentista, mas havia saído de casa para trabalhar algumas horas antes do incêndio, registrado por volta das 10h. Os trabalhos no local do incêndio contaram com os bombeiros da região e com a ajuda do Instituto Nacional de Emergência Médica. Vizinhos relataram que pouco antes de uma explosão foram ouvidos gritos dentro do imóvel. Autoridades acreditam que gás pode ter vazado, mas tudo ainda será apurado. Luciana cursou o ensino médio em Franca (SP) e se formou em odontologia em Uberaba (MG). Ela teria conhecido o marido, português, no Brasil e resolvido se mudar para Portugal, onde teve os dois filhos, Letícia e Leonardo.

Familiares da dentista trarão o corpo de Luciana para ser sepultado na cidade natal. O prefeito de Cristais Paulista, Hélio Kondo (PMDB), disse que a morte de Luciana trouxe um clima de consternação muito grande na cidade. "Tanto ela quanto sua família eram muitos queridos pela comunidade e fomos pegos de surpresa", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
explosão Potugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.