Explosivo militar fere oito em ferro-velho

Oito pessoas ficaram feridas nesta manhã, na explosão de um artefato militar em Búzios, na Região dos Lagos. O acidente ocorreu nos fundos de uma casa onde funciona um ferro-velho. Os feridos foram levados para hospitais de Cabo Frio e de Arraial do Cabo, cidade próximas. A polícia ainda não sabia se todos eram catadores de lata, ou se havia também funcionários do ferro-velho. Até o fim da tarde, a perícia ainda estava no local para analisar os vestígios do explosivo. Os hospitais não quiseram falar sobre o estado de saúde, nem o nome das vítimas. Informações extra-oficiais, porém, davam conta de que o dono do ferro-velho, Nilson Pereira da Silva, de 57 anos, e dois menores, ambos com 13 anos, foram internados em estado grave.O delegado de Búzios, Ronald Hurst, informou que a polícia trabalha com a hipótese de que um dos catadores teria recolhido o artefato nas dependências da Marinha, que mantém, na entrada da cidade, um campo de manobra e uma estação rádio-base. Os dois campos são cercados de arame farpado. O inspetor Luiz Fernando Souza, que esteve no local da explosão, contou que o catador chegou até a transportar o material em um ônibus. A bomba teria sido detonada depois que o catador colocou a sacola no chão, com os objetos recolhidos ao longo do dia. A equipe do Esquadrão antibombas, que vistoriou a área, não encontrou nenhum outro objeto que pudesse explodir. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli estão analisando os estilhaços do material. O delegado de Búzios informou que será aberto um inquérito policial para investigar se o estabelecimento funciona legalmente e identificar os responsáveis pela explosão. A polícia também informou que nenhuma casa vizinha ao ferro-velho sofreu abalo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.