Explosões em tubulação de gás abrem cratera em Copacabana

As chamas atingiram uma altura de 12 metros, e os bombeiros tiveram dificuldades em apagá-las

Bruno Lousada, de O Estado de S. Paulo,

13 de setembro de 2008 | 12h20

Três explosões consecutivas, em tubulações de gás da CEG, em bueiros da esquina das ruas Raul Pompéia e Souza Lima, em Copacabana (zona sul), deixaram dois policiais militares levemente feridos e assustaram os moradores da região, na manhã deste sábado.   As chamas atingiram uma altura de 12 metros, e os bombeiros tiveram dificuldades em apagá-las. O incêndio teria sido provocado pelo rompimento de dois cabos subterrâneos da Light.   O primeiro estrondo ocorreu por volta de 8h30. Dois policiais militares do 19.º Batalhão (Copacabana), que foram verificar o incêndio, se feriram com a segunda explosão, que aconteceu dez minutos depois. Um dos soldados chegou a ser arremessado contra a grade de um prédio.   Uma cratera se abriu na Rua Souza Lima. O trânsito foi interrompido na região, o que provocou enorme engarrafamento. "Acordei com o barulho das explosões. Estou sem luz e sem gás", disse uma moradora de um prédio em frente ao local do incêndio. "As chamas atingiram a altura do quarto andar do edifício", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
rio de janeirocopacabanaexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.