Exposição reúne 250 exemplares de bromélias no Rio

Começou nesta sexta-feira, em um sítio em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, uma grande exposição de bromélias, com espécies raras de oito colecionadores do Rio de Janeiro e de São Paulo. São 250 exemplares dispostos numa estufa de 600 metros quadrados. Há ainda uma área de vendas.Os expositores querem aproveitar para dissociar a imagem da bromélia da epidemia da dengue e vão distribuir folhetos explicativos sobre a doença. Entre as espécies raras que estão sendo exibidas, estão a Aechmea Blanchentiana Varegata, endêmica da região de Porto Seguro, na Bahia, a Vriesea Atra Varegata, típica da região serrana do Rio e a Alcantarae Glaziovana Varegata, que ocorre na zona oeste da capital fluminense.Elas têm manchas nas folhas que as diferem das demais. Também na mostra, a Fernseea Itatiaiae, da Região das Agulhas Negras, é um exemplar que vem desaparecendo na natureza, por causa das queimadas e do desmatamento. A exposição tem espécies híbridas de bromélias, além de orquídeas e cactus.Um dos colecionadores que está expondo é o compositor Roberto Menescal, que tem em sua casa na Barra da Tijuca, zona oeste, mais de dez mil bromélias. Para a mostra, ele selecionou 30 delas. Os organizadores esperam receber três mil pessoas nos três dias de exposição.Os visitantes receberão um folheto explicativo sobre a dengue. "Queremos acabar com a idéia de que as bromélias são as vilãs da dengue. No verão, teve muita gente que jogou planta fora com medo de contrair a doença. Isso é um crime", disse Gustavo Coimbra, proprietário do sítio Mania de Bromélia, onde está a mostra.Ele diz que nunca teve a doença, embora seu sítio tenha mais de 50 mil plantas. Os organizadores ensinam que há inseticidas atóxicos que devem ser colocados nos copos das bromélias - onde fica água acumulada -, para que o mosquito Aedes Aegypti não deposite seus ovos. Para quem tem poucas plantas, a recomendação é tirar o excesso de água uma vez por semana.Para os especialistas, não se deve usar água sanitária, como recomendam as autoridades da área de saúde, porque a substância pode queimar a planta. Esta é a sexta edição da Exposição Anual da Mania de Bromélia. A exposição ficará aberta até domingo, das 9 às 18 horas. O endereço é Estrada de Jacarepaguá, 5886, no Anil. A entrada é franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.