Expresso Tiradentes deverá funcionar somente em março

A entrega da primeira fase do Expresso Tiradentes - conhecido como antigo Fura-fila e alvo de suspeitas de superfaturamento durante os dez anos de execução de sua obra - não será mais dia 25 de janeiro, como foi prometido no último dia 9 pela prefeitura. A nova previsão de inauguração, anunciada nesta terça-feira, 16, pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, deve ser dia 8 de março.A assessoria de imprensa do Executivo paulistano alega que o novo atraso na entrega da obra se deve a "serviços que não estavam no cronograma, mas a Prefeitura vai executá-los agora para não interromper o trânsito da região, posteriormente".Segundo a prefeitura, ainda é preciso finalizar, na parte superior do corredor, as instalações das coberturas das estações Ana Nery e CAY e concluir a colocação do piso. Na parte inferior - nas avenidas Juntas Provisórias e do Estado, incluindo as ruas laterais - restam fazer o recapeamento e a sinalização das vias que margeiam esta primeira fase do Expresso Tiradentes.Dia 8 de março, conforme previsão da prefeitura, serão entregues os trechos 1 e 2, que ligam o Terminal Mercado, no Parque Dom Pedro II (Centro), ao Terminal Sacomã, na avenida Juntas Provisórias (Zona Sul). Nessa primeira fase, serão beneficiados os moradores das regiões do Glicério, Ipiranga e Sacomã. Inicialmente, entrarão em funcionamento as estações Mercado, Dom Pedro, Ana Nery, Grito e Sacomã. Neste trecho, são 8,5 km de corredor, divididos em 5 km de vias elevadas e 3 km no nível do rio Tamanduateí.A expectativa é que, após o início das operações, circulem diariamente pelo trecho 25 mil pessoas, sendo 2 mil passageiros nos horários de pico. Pelo corredor circularão, com intervalos médios de quatro a cinco minutos, 15 novos veículos híbridos que usam motor de tração elétrica, associado a um alimentador de baterias a diesel, menos poluentes que os convencionais. Transitarão ainda 10 ônibus articulados, também novos, movidos a diesel. Os veículos simples têm capacidade para 65 passageiros e os articulados, 105.Como o Expresso integrará a rede de transporte de São Paulo, o valor da tarifa de viagem será idêntico ao dos ônibus municipais. O bilhete único será aceito em todas as estações, seguindo as mesmas regras dos demais ônibus.Os trechos 3 (ramal Vila Prudente), 4 (Vila Alpina-São Mateus) e 5 (São Mateus-Cidade Tiradentes) estão previstos para ser entregues até o fim de 2008. Quando estiver completo, o sistema terá 44 estações, seis terminais e fará 50 paradas. A estimativa é que venha a atender cerca de 350 mil passageiros por dia, principalmente os moradores das regiões Centro, Leste e Sul, além das cidades do ABC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.