Expresso Tiradentes terá integração com região do ABCD

Vinte e nove linhas de ônibus que têm origem nos municípios do ABCD e ligam a região à capital paulista passam, a partir de sábado, a ter seus pontos finais no Terminal Sacomã, por onde passa o Expresso Cidade Tiradentes (antigo Fura-Fila), em operação desde quinta-feira, 8.A mudança dos itinerários foi decisão conjunta da SPTrans e Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) para aumentar a oferta de linhas de quem sai do ABCD para vir à capital de ônibus, e vice-versa.A novidade é que os passageiros poderão fazer a transferência pagando apenas uma tarifa - a do ônibus intermunicipal. Quando fizer a baldeação para o Expresso Cidade Tiradentes ou para outra das 24 linhas municipais de São Paulo que fazem ponto no terminal, o usuário que vem do ABCD não precisará pagar a passagem de R$ 2,30.Na volta, quando a viagem começar em ônibus paulistano, o passageiro paga R$ 2,30 e, depois, quando entrar no coletivo intermunicipal, pagará só a diferença da passagem para o seu município. As tarifas das linhas metropolitanas que farão ponto final no Sacomã variam de R$ 2,50 a R$ 3,70, ou seja, a diferença vai de R$ 0,20 a R$ 1,40.ConfusãoColocar todo o sistema em prática, no entanto, deve causar confusão nos primeiros dias . Há passageiros que chegam do ABCD em várias situações: com e sem o Bilhete Único, com o qual a passagem no ônibus da capital pode ser paga. Além disso, entre os que têm o bilhete, há aqueles que já cadastraram o cartão, os que não cadastraram e os que chegam com ele com créditos e sem créditos.Para diminuir os transtornos, as empresas divulgaram um quadro com as providências que o passageiro deverá tomar em cada situação. Por exemplo: quem chegar ao Sacomã depois de fazer a viagem em seu ônibus intermunicipal e encostar seu Bilhete Único no validador do ônibus da capital para seguir viagem terá descontados os R$ 2,30 da passagem. Mas, como a tarifa será única do ABCD até o destino final na capital, o usuário vai ter de entrar numa fila para ser reembolsado com um vale, que poderá ser utilizado na viagem de volta para pagar o ônibus paulistano. Ou, se a pessoa preferir, os R$ 2,30 do vale poderão ser creditados no cartão do Bilhete Único.Já quem chegar do ABCD com o Bilhete Único sem créditos terá menos problemas: o validador irá liberar o prosseguimento da viagem sem cobranças. Bastará encostar o cartão. A SPTrans e a EMTU recomendam que os passageiros que ainda não têm Bilhete Único providenciem um cartão - haverá distribuição no próprio terminal - para ter acesso às tarifas unificadas ABCD-capital e capital-ABCD.Colaborou Marcela Spinosa

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.