"Exterminador" baiano deve ser exonerado da polícia

O policial civil Silvino Araújo Neto que à semelhança do personagem do filme "Exterminador do Futuro" destruiu na quarta-feira a tiros uma delegacia da capital baiana, foi liberado neste sábado do Sanatório São Paulo, onde realizou exames psiquiátricos, e encaminhado à Corregedoria da Polícia. A Secretaria de Segurança Pública abriu sindicância para apurar o caso e provavelmente deve exonerar o "exterminador" das funções.Armado com uma metralhadora, um fuzil AR-15 e uma pistola automática, Araújo Neto dirigiu-se à Delegacia de Furtos e Roubos de Salvador quando soube que o amigo José Nunes dos Santos havia sido preso por estar seguindo a ex-mulher do policial, que é escrivã da delegacia. Santos confessou ter sido contratado para o serviço por Araújo Neto, recebendo em troca um celular, tiquetes refeição e combustível.Diante da negativa dos colegas de libertar Santos, Araújo Neto sacou as armas e saiu atirando dentro da delegacia destruindo computadores, aparelhos de televisão e divisórias. Os nove policiais que se encontravam no local não se feriram. Após libertar Santos, o "exterminador baiano" foi detido em frente a uma lanchonete na orla marítima de Salvador e encaminhado ao sanatório. Depois de toda a confusão Santos se apresentou à Corregedoria da Polícia, com um advogado, foi ouvido e liberado, desta vez pacificamente. Já Araújo Neto deve permanecer preso na Corregedoria enquanto a cúpula da polícia baiana resolve seu destino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.