FAB corrige saldo de corpos encontrados: total é de 43

Diferença foi percebida após trabalhos de pré-identificação das vítimas dos peritos em Pernambuco

Angela Lacerda, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2009 | 12h03

A Força Aérea Brasileira (FAB) corrigiu na manhã deste domingo, 14, o saldo de corpos de possíveis vítimas do voo 447 encontrados no Oceano Atlântico. Trata-se de 43, e não 44, como fora anunciado anteriormente. Em nota, a FAB justificou que a diferença foi identificada após os peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco concluírem os trabalhos de pré-identificação dos corpos.

 

Tiago Queiroz/AE - Retirada do estabilizador vertical da aeronave, a maior peça encontrada

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

videoSubmarino francês no resgate à caixa-preta

video Vídeo: Operação de resgate

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

Segundo nota da PF e da secretaria, uma parte dos restos mortais resgatados mostrou "não ser de tecido humano, mas sim de animal marinho de grande porte, possivelmente eviscerado por alguma embarcação de pesca e atirado ao mar". O corpo, "um fragmento de tecido mole de aproximadamente 80 centímetros" fazia parte, de acordo com a nota, dos últimos três que chegaram a Noronha no sábado.

 

Os três corpos - por não estarem inteiros - foram transportados em um só saco mortuário pelos militares que os içaram da fragata Constituição. "O equívoco ocorreu em função da impossibilidade de se verificar, por simples contato visual, ser o fragmento de tecido orgânico humano ou não", diz a nota. "Somente um exame mais acurado, como o realizado em Fernando de Noronha, pode detectar a verdadeira origem do tecido".

 

A Polícia Federal e a Secretaria de Defesa Social informaram que o fragmento não será descartado até que exames laboratoriais confirmem a convicção dos peritos. Todos os 43 corpos se encontram no IML do Recife.

 

Nesta manhã, um avião C-130 Hércules transportou mais seis corpos catalogados em Fernando de Noronha para o Instituto Médico Legal (IML) do Recife. Segundo a FAB, às 14 horas, o embaixador francês Pierre-Jean Vandoorne visitará, o centro de operações de buscas por destroços e vítimas do Airbus A330 montado no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) III, na capital pernambucana. Às 15h30, ele se reunirá com oficiais da Marinha e da Aeronáutica para discutir o andamento dos trabalhos.

 

No sábado, um navio mercante Gammagas, de bandeira antiguana, resgatou parte da estrutura do Airbus da Air France, segundo o Comando da Aeronáutica e da Marinha brasileira. Outros destroços e corpos não foram localizados. O navio mercante fazia o trajeto Uruguai-Reino Unido e localizou a parte da estrutura da aeronave em um ponto distante 415 quilômetros a noroeste do arquipélago de São Pedro e São Paulo. A peça será entregue às autoridades francesas, que conduzem as investigações do acidente.

 

(Com Central de Notícias)

Atualizado às 15h15 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.