Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

FAB informa que 49 corpos já foram resgatados

Militares haviam informado que total era de 43, mas seis corpos foram recolhidos pela Marinha francesa

Equipe AE,

14 de junho de 2009 | 19h34

O comando da Aeronáutica e da Marinha informou na noite deste domingo, 14, que soma 49 o número de corpos resgatados de vítimas do acidente com o avião da Air France, que transportava 228 pessoas e desapareceu dos radares no último 31 de maio. Na manhã deste domingo, 14, os militares haviam informado que o total de corpos transportados para Recife (PE) somava 43, mas seis novos corpos foram recolhidos pela Marinha francesa.

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

videoSubmarino francês no resgate à caixa-preta

video Vídeo: Operação de resgate

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

Três destes corpos já estão a bordo da fragata brasileira Bosísio, conforme informações fornecidas hoje por representantes das Forças Armadas. A fragata parte nesta noite do local e deve chegar a Fernando de Noronha na próxima terça-feira. Em coletiva de imprensa realizada nesta noite, o brigadeiro da Aeronáutica Ramon Borges Cardoso reiterou que, a partir de 17 de junho, Marinha e Aeronáutica promoverão reuniões periódicas para definir até quando se estenderão as buscas.

 

Por ora, segundo ele, não há data limite para a missão de busca e resgate de corpos e destroços. "Normalmente, o prazo que é levado em conta é de até três semanas, entre 20 e 21 dias, mas não necessariamente (isso ocorre). Faremos a análise a cada dois dias e tomaremos decisões não apenas com base em dados técnicos, mas também em possibilidades", afirmou há pouco.

 

Hoje, o centro de operações de buscas recebeu a visita do embaixador francês Pierre-Jean Vandoorne, que veio ao Brasil para coordenar as atividades das organizações francesas envolvidas na missão de busca e resgate.

 

Buscas

 

A operação de buscas de despojos do voo 447 da Air France entra agora em uma fase ainda mais difícil, duas semanas após o acidente. Desde quinta-feira a força-tarefa militar brasileira nada avistou na região de buscas, enquanto o último resgate realizado pela Marinha francesa ocorreu na sexta-feira, 12, com o recolhimento de seis corpos. Eles foram transferidos neste domingo, 14, para a fragata da Marinha brasileira Bosísio, e chegam ao arquipélago de Fernando de Noronha na terça-feira, 16 onde serão submetidos ao mesmo processo de pré-identificação, já realizado em 43 corpos.

 

Depois de duas semanas de buscas, o avião radar R-99 realizou um rastreamento eletrônico de 1.019.548 quilômetros no Oceano Atlântico, o equivalente a cinco vezes o Estado de São Paulo, de acordo com balanço da Aeronáutica. O R-99 faz uma média de três viagens diárias à região de buscas, a 1.350 quilômetros do Recife. A aeronave detectou, através da busca eletrônica, áreas onde, em seguida, outras aeronaves e navios localizaram destroços e corpos de vítimas.

 

O brigadeiro Ramon Borges Cardoso, diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, ratificou, em entrevista coletiva, no início da noite de ontem (14), que não há prazo definido para o encerramento das buscas. Lembrou que o prazo normalmente considerado é de três semanas - 20 a 21 dias - mas garantiu que "a decisão não é só baseada em dados técnicos". "Se continuarem encontrando corpos, as buscas serão estendidas".

 

(Com Angela Lacerda, Especial para O Estado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.