FAB retoma busca por helicóptero após 1 ano

Aeronave desaparecida em 2008 levava presidente da Avibrás; foram encontradas ossadas

Hélcio Consolino, TAUBATÉ, O Estadao de S.Paulo

15 Julho 2009 | 00h00

Um mateiro da região de Maranduba, praia de Ubatuba, litoral norte paulista, encontrou os restos de um helicóptero, documentos pessoais e provavelmente ossadas do presidente da Avibrás, João Verdi de Carvalho Leite, de 72 anos, e de sua mulher, Sônia Regina Brasil Leite. O aparelho estava desaparecido desde 24 de janeiro do ano passado e os destroços estariam em uma região de difícil acesso num sertão da mata atlântica, o que poderá dificultar o trabalho de confirmação das equipes de resgate. Oficialmente, a Força Aérea Brasileira (FAB) anunciou que retomou as investigações. Apesar de o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (Cecomsaer) esperar o reconhecimento do local para dar o caso como resolvido, o Estado obteve informações da própria Avibrás confirmando a localização da aeronave. Segundo o Cecomsaer, na manhã de hoje um militar credenciado do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA), de São José dos Campos, passará a acompanhar as investigações no litoral. Conforme a FAB, o mateiro já apresentou um documento da aeronave e diz ter outras provas que confirmam que as ossadas são do casal. Segundo a Avibrás, entre essas provas estariam documentos pessoais das vítimas. Considerado um piloto experiente, Verdi era dono da Avibrás, empresa com sede em São José dos Campos (a 94 km de São Paulo) e fabricante de produtos aeronáuticos e bélicos. O helicóptero EC 120 Colibri, de prefixo PP-MJV, havia decolado na manhã do dia 22 de janeiro de 2008 da residência do casal, em Angra dos Reis (RJ), com destino a São José dos Campos (SP), onde eles moravam. O próprio empresário pilotava o aparelho, que contava com um sistema de alerta - acionado em caso de pane de motor. No dia em que desapareceu, o helicóptero sobrevoava uma área fechada de preservação da mata atlântica, entre Angra dos Reis, Caraguatatuba e Ubatuba. Na época, as buscas foram feitas com apoio de helicópteros e de um avião Bandeirante dos esquadrões Puma e Pelicano, das bases aéreas do Rio e de Campo Grande (MS). Segundo o Cecomsaer, o contato com o militar credenciado no reinício das buscas também será difícil, uma vez que na região não há nem sinal para celular. Mas a FAB adianta que a equipe que retomou as buscas está preparada até para pernoitar no local, se necessário. No ano passado, as buscas foram concentradas no bairro Sertão da Quina, que fica nas redondezas da Praia de Maranduba, no limite com Caraguatatuba. Ainda conforme a Comunicação Social da Aeronáutica, a primeira ação a ser feita será o resgate dos corpos e, depois, o recolhimento dos destroços - para que o CTA possa providenciar a investigação sobre as possíveis causas do acidente. NÚMEROS 17 acidentes com helicópteros foram registrados no País em 2008, de acordo com estatísticas do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa); neste ano, ocorreram 7 casos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.