Fabricante do Toddynho oferece médico a consumidores

Problema no envasamento colocou no mercado produtos com acidez igual a de produto de limpeza

Solange Spigliatti, estadão.com.br

07 Outubro 2011 | 14h51

SÃO PAULO - A Pepsico Brasil vai manter um médico a disposição dos consumidores que tiveram contato com o achocolatado Toddynho e procurarem a empresa por meio de seu Serviço de Atendimento ao Consumidor.

Um problema durante o envasamento na fábrica de Guarulhos, na Grande São Paulo, provocou uma alteração no conteúdo de embalagens de 200ml de Toddynho Original, com numeração L4 32, produzido no dia 23 de agosto, com validade até 19/02/2012, segundo a empresa.

Além de recolher essas unidades, a PepsiCo, segundo nota, está acompanhando de perto a evolução dos casos, atuando em conjunto com a Vigilância Sanitária. O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS) do Rio Grande do Sul confirmou ontem que das 23 amostras analisadas, somente aquelas com a numeração L4 32 estão com alteração de conteúdo e todos os demais lotes de produtos estão próprios para o consumo.

Todos os demais sabores da linha Toddynho, bem como aqueles que não têm numeração de L4 32 05:30 a 06:30, com validade de 19/02/2012, estão próprios para o consumo, afirma a Pepsico.

Em nota, a empresa afirma que a grande maioria das unidades do produto que estavam no mercado já foram recolhidas e aconselha aos consumidores que caso tenham embalagens com a numeração citada acima em suas casas, não devem consumir o produto e entrar em contato com o SAC da empresa, pelo telefone 0800 703 2222.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.