Faixa exclusiva para motos é aprovada por 66% dos internautas

A faixa exclusiva para motocicletas inaugurada na última segunda-feira, 18, nos dois sentidos das avenidas Sumaré e Paulo VI, na zona oeste de São Paulo, foi aprovada por 66,47% de 1.275 internautas que participaram de uma enquete entre os dias 18 e 21 de setembro no Portal Estadão.com.br. O internauta Joaquim Fernandes Junior é um dos que concordam que as faixas podem contribuir para a redução do número de acidentes com motoboys e motociclistas. "Acredito que seja uma solução viável para melhorar a segurança dos motociclistas", afirma Fernandes. De acordo com dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), embora representem 10% da frota total de veículos, as motos são causadoras de 23% das mortes no trânsito. Em 2005, 345 motociclistas morreram em acidentes.Mas, embora concorde com a medida, o internauta tem ressalvas. "Espero que os motociclistas respeitem esse novo direito. Se a faixa é exclusiva, que sejam penalizados os que andarem fora dela", alerta Fernandes. O desejo de Fernandes, porém, não poderá ser atendido os motociclistas não podem ser penalizados por andarem nas faixas entre os carros, pois em 1997, o então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, vetou o artigo 56 da lei, que impedia a circulação de motos nos corredores entre os automóveis, sob o argumento de que era necessário preservar a agilidade das motos. Com isso, a CET não pode multar os motoqueiros que se circulam por entre os veículos, enquanto que se um motorista invadir a faixa exclusiva, será penalizado com multa de R$ 127 e perderá 5 pontos na carteira de habilitação.Para amenizar a situação, na terça-feira, 19, foram instalados dois radares móveis para tentar controlar a velocidade dos motociclistas que, para a CET, foi o principal problema encontrado no primeiro de implantação das faixas, quando dois pedestres foram atropelados. Outros 643 internautas afirmaram não concordar com as faixas exclusivas. Uma das justificativas é que o trânsito piorou na região. "Passo todos os dias na Avenida Sumaré e as faixas para os carros circularem ficaram tão estreitas que os ônibus passam distantes apenas alguns centímetros dos automóveis, além de ter contribuído para o aumento do trânsito na região", reclama a internauta Simone Bressan, que ainda diz que a saída do viaduto que dá acesso à Avenida Sumaré ficou mais confusa, pois a faixa exclusiva surge de repente. Alguns internautas também deixaram outras sugestões que poderiam ser adotadas para a diminuição de acidentes envolvendo motocicletas. Para Josi Perez, por exemplo, que tirou habilitação para dirigir motos há pouco tempo, as auto-escolas deveriam oferecer ao aluno possibilidade de aulas de direção em locais com um pouco mais de trânsito e em ladeiras. Mas, por determinação do Detran, essa oportunidade não pode ser oferecida. "Acho perigoso lançar no trânsito um aluno recém habilitado nessas condições", diz Josi.Em outra questão da enquete, 10,49% de um total de 1.821 internautas afirmaram terem presenciado incidentes que consideram ter sido causados pelas novas faixas exclusivas para motos, enquanto 1.630 não presenciaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.