Faixas e drogas do PCC são apreendidas em Bauru

Cinco faixas que pediam o fim das "torturas" nos presídios de Presidente Venceslau e Presidente Bernardes e o tratamento mais humano os presos, foram apreendidas no início da noite de quarta-feira, 21, quando eram instaladas na Avenida Daniel Pacífico, que liga bairros populosos de Bauru. Com elas foram detidos Vilson Cruaia Filho, 23 anos, Josué Medrade de Carvalho, 24, Paulo alexandre, 30 e Luiz Antonio dos Santos, 37 anos. Apesar de estarem emitindo mensagem do Primeiro Comando da Capital (PCC), os quatro foram liberados e deverão responder em liberdade o inquérito. Apenas um deles - Carvalho - não tinha passagens pela polícia. Na manhã desta quinta, 22, 14 pessoas foram presas numa casa na vila industrial, periferia de Bauru. Com elas a polícia encontrou mais de 50 porções de maconha e crack que se supõe pertencer ao PCC para abastecimento de presos da região. Entre os presos estão Marco Antonio Fenandes Baerga, fugitivo da penitenciária de Getulina e Carlos Henrique Marciano da Silva, agente de segurança da Casa (ex-Febem) de Vila Maria - São Paulo. São Paulo Em São Paulo, a polícia prendeu na madrugada desta quinta três pessoas que estavam colocando faixas em favor dos presidiários, na Ponte Julio de Mesquita Neto, na Marginal do Tietê, no Limão, zona norte da cidade. Cleyton Maciel da Silva, de 23 anos, e Juliano dos Santos, de 29 anos, e um adolescente de 17 foram detidos durante patrulhamento da polícia, por volta da 1 hora. Eles estavam pendurando as faixas que pediam o fim da repressão aos detentos. Na delegacia, os três teriam dito que o PCC pagou R$ 500 a cada um pelo serviço. O adolescente foi liberado, mas os dois rapazes foram presos e seriam transferidos para um centro de Detenção Provisória (CDP), ainda não divulgado. Com um dos suspeitos foi encontrado um revólver calibre 38. (Colaborou Solange Spigliatti)

Agencia Estado,

22 Fevereiro 2007 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.