Falha na segurança do espaço aéreo será investigada em Goiás

Procurador quer investigar se houve falhas da Aeronáutica e do Cindacta no acidente que deixou dois mortos

Rubens Santos, O Estado de S. Paulo

14 de março de 2009 | 17h10

O Ministério Público Federal (MPF) vai investigar a possibilidade de falhas de órgãos federais na queda do avião EMB1 (prefixo PT-VFI), no estacionamento do Shopping Flamboyant. A informação foi confirmada neste sábado, 14, pelo procurador da República, Raphael Perissé. Na quinta-feira, 12, Kleber Silva, de 31 anos, sequestrou a própria filha, roubou um monomotor e atirou a aeronave contra o estacionamento do shopping. Os dois morreram na queda. Antes de provocar o acidente, ele agrediu a mulher e a jogou do carro da família em movimento.

 

Veja também:

mais imagens Galeria com imagens do caso

lista Pai que pegou avião e morreu com a filha teve 'semana de fúria'

som Mulher que testemunhou a queda do avião conta o que aconteceu

video Momentos de terror: homem faz manobras com o avião

linkSequestrador teria prisão pedida hoje por estupro

linkHomem rouba avião e cai sobre shopping em Goiânia 

 

"É preciso estabelecer se houve ou não falhas na segurança do espaço aéreo brasileiro", disse. Além de Raphael Perissé, o procurador Marcello Santiago Wolff atuará no caso e ambos deverão detalhar a atuação do MPF na segunda-feira, 16.

 

"Precisamos saber qual foi a responsabilidade do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) e do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) no caso", disse Wolff. "Também é preciso saber porque o Mirage - caça da Força Aérea Brasileira (FAB) - só faria a segurança de Brasília no episódio", disse ele, ao anunciar que pretende ouvir todos os envolvidos para detectar as falhas e evitá-las.

Tudo o que sabemos sobre:
acidente aéreoGoiânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.