AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Falha no motor pode ter causado queda

Falha mecânica em um dos motores é a causa mais provável para a queda do Navajo ECO-820, nesta terça-feira, perto do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo.A hipótese foi levantada pelos técnicos do 4º Serviço Regional de Aviação Civil (SERAC-4), que investigam o acidente envolvendo o bimotor de prefixo PT-EHL. A fita com o diálogo entre o piloto Alessandro Buceme, morto no acidente, e a torre de comando de Congonhas revela que ele avisou que estava com problemas enquanto arremetia o avião."Estou arremetendo em emergência, estou monomotor", foi a última fala de Buceme.O comando perguntou se o piloto tinha condições de curvar para a direita, mas não ouviu a resposta. "Nessa hora, a torre assistia à queda", disse o chefe do serviço regional de Proteção ao Vôo, tenente-coronel Helio Severino da Silva Filho. Entre o diálogo e a queda transcorreram de 15 a 30 segundos. Os destroços foram levados para a base área de São Paulo e devem ser analisados no Centro Técnico Aeroespacial em São José dos Campos, por engenheiros do Instituto de Fomento Industrial (IFI). De acordo com o chefe da Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, major Ricardo Magno Silva Rosa, só os motores e a hélice poderão ser analisados. "De partes nobres para a investigação não sobrou nada."Segundo o major, arremeter é um procedimento normal. No caso do Navajo, foi uma medida anormal, por não ter autorização do comando. O bimotor chegou a tocar na pista auxiliar de Congonhas, que tem 1.435 metros. O major deve ouvir várias testemunhas. Entre elas, bombeiros e mecânicos que teriam visto a manobra e poderiam esclarecer em que parte da pista o piloto teria tentado pousar. O major não sabe quando as investigações serão concluídas. Buceme chegou a fazer um pouso dois minutos antes da queda, mas voltou a subir, à revelia da torre de controle, avisou que estava em emergência e caiu.O procedimento consta da nota oficial distribuída pelo Departamento de Aviação Civil (DAC) nesta quarta-feira à tarde. Segundo o texto, avião e piloto tinham documentação em ordem. A nota afirma que o bimotor "realizou um pouso às 20h28 na pista 35R de Congonhas, arremetendo em seguida. De acordo com a nota, "logo após arremeter, o piloto informou ao controlador de tráfego estar em situação de emergência, tendo sido orientado a fazer curva à direita e retornar ao circuito para pouso".

Agencia Estado,

06 de junho de 2001 | 20h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.