Falhas no caso de crianças assassinadas serão punidas

Acuada por uma série de acusações de falhas da polícia, que deteve três vezes o matador confesso de 12 crianças, Adriano Vicente da Silva, e liberou-o sem desconfiar de sua periculosidade, a Secretaria de Justiça e Segurança do Rio Grande do Sul prometeu, em nota oficial divulgada nesta sexta-feira, que os responsáveis por erros que forem confirmados serão responsabilizados. A Corregedoria-Geral da Polícia Civil está encarregada de investigar se foram corretos os procedimentos das delegacias de Soledade, Marau e Passo Fundo, onde Silva esteve para explicar o roubo de um par de botas, porte de armas e suas relações com um dos garotos que então estava desaparecido.Além da nota oficial, a reunião da cúpula da Segurança definiu que a reconstituição dos crimes cometidos por Silva começa nospróximos dias.A idéia inicial era levar o matador ao local de um dos crimes já na quinta-feira. Mas a operação foi transferida para estasexta-feira e novamente adiada, para que os peritos possam ter mais detalhes do caso.Além disso, será montado um grande esquema de segurança para evitar que tanto na retirada de Silva da Penitenciária de AltaSegurança de Charqueadas como na sua transferência para a região norte e nas reconstituições ele não seja vítima de agressõesde moradores revoltados com sua conduta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.