Falsas blitze no Rio deixam um morto e cinco feridos

Falsas blitze armadas por bandidos assustaram os motoristas no Rio durante o fim-de-semana deixando como saldo um morto e cinco feridos. No sábado à noite, pelo menos três motoristas foram assaltados em um dos acessos ao túnel Rebouças, uma das principais vias de ligação entre as zonas norte e sul. Os criminosos montaram uma falsa blitz na subida para o túnel, obrigando os veículos a parar. Assustado, um taxista tentou manobrar seu carro para fugir e caiu dentro de um canal. Um dos motoristas foi agredido por coronhadas.Ainda no sábado, outras falsas blitze ocorreram em Acari e Campo Grande. Na Estrada Velha da Pavuna, em Acari, duas pessoas - Clayton Pinto Peçanha e seu filho, Ian - foram baleadas em uma tentativa de assalto, mas não correm risco de vida. Em Campo Grande, outros três levaram tiros ao tentar passar por uma barreira montada por traficantes. Edson da Costa Cordeiro, de 42 anos; Renato Rangel dos Santos, de 57, e Aldecir Soares Leite, de 56 anos, estão internados no Hospital Souza Aguiar.Na noite de sexta-feira, Márcia Pegorim Abreu Magalhães, mulher do delegado Magalhães Júnior, chefe da Delegacia Regional do Interior, foi assassinada ao tentar fugir de uma falsa blitz que era feita por seis criminosos armados no bairro de Santa Rosa, em Niterói, região metropolitana do Rio. Ainda na sexta-feira, outra confusão assustou os motoristas que passavam pelo túnel Rebouças. Houve troca de tiros entre ocupantes de dois carros e a polícia chegou a fechar as galerias do túnel. Alguns motoristas tentaram fugir em marcha-à-ré. Ninguém ficou ferido. A polícia não encontrou os responsáveis pelos disparos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.