Falso coronel do Exército deve ser julgado pela Justiça Federal do Rio

Ele foi preso em outubro de 2010; Justiça do Rio declinou da competência

Priscila Trindade, estadão.com.br

28 de junho de 2011 | 09h41

SÃO PAULO - O processo contra Carlos da Cruz Sampaio Junior, o falso tenente coronel da reserva do Exército Brasileiro, será julgado pela Justiça Federal. A juíza Maria Tereza Donatti, titular da 29ª Vara Criminal do Rio, declinou da competência e encaminhou o caso para a Justiça Federal. A informação foi divulgada na segunda-feira. O réu é acusado do crime de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

 

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual, o falso coronel trabalhou durante três meses como Coordenador da Subsecretaria de Planejamento e Integração Operacional da Secretaria de Estado de Segurança do Rio.

 

Ele só foi impedido de exercer as atividades ao ser preso, em outubro de 2010. O falso coronel já havia exercido cargos na administração pública municipal e estadual, além de ter participado de treinamentos de policiais, ministrado aulas de tiro e comandado operações.

 

Em sua decisão, a juíza afirmou que a União suspeita da ocorrência de crime federal. "Acolho o parecer do Ministério Público, pois há interesse da União na apuração da prática de crime de falsificação de documento federal. Assim, nos termos do artigo 109, inciso IV, da Constituição Federal, declino da competência para uma das Varas Federais Criminais da Seção Judiciária do Rio de Janeiro."

Tudo o que sabemos sobre:
coronelpreso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.