Falso guia matou e estuprou

Polícia do PR procura homem que, após assassinar rapaz, baleou e abusou da namorada

Julio Cesar Lima, O Estadao de S.Paulo

03 Fevereiro 2009 | 00h00

A divulgação de um retrato falado com a descrição do homem que baleou e estuprou uma jovem e matou o namorado dela, de 22 anos, na Praia dos Amores, no litoral paranaense, no último fim de semana, deve ajudar a polícia nas investigações por todo o Estado. A descrição foi feita pela jovem, cujo nome não foi divulgado, logo após ela ser socorrida por bombeiros da região, no domingo à noite. O fugitivo é um homem de pele morena, de cerca de 1,80 metro e calvo. A jovem e o namorado haviam sido baleados no sábado à tarde em uma trilha localizada no Morro do Boi. O estudante morreu na hora, após levar um tiro no peito. A garota, que está em estado grave no Hospital Vita, em Curitiba, onde respira com a ajuda de aparelhos, foi deixada no local. Horas mais tarde, à noite, o criminoso voltou para estuprá-la. O crime chocou a comunidade do litoral e fez com que fosse criada uma força-tarefa policial para prender o assassino. O delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura, chefe da Divisão Policial do Interior, explicou que, antes de ser internada, a jovem fez questão de dar descrição detalhada do bandido. "Estamos seguindo várias linhas de investigação. Uma delas é orientada por tudo o que a moça pôde nos contar. As equipes não vão descansar enquanto não solucionar o caso." TRAGÉDIA A jovem relatou aos bombeiros que ela e o namorado pediram informações a um homem sobre o caminho até a Praia dos Amores. O rapaz teria se oferecido para guiá-los. Ao se aproximarem do local, ele tentou abusar sexualmente dela. Quando o rapaz foi defendê-la, acabou sendo baleado e morreu. Em seguida, ao tentar correr, a jovem levou dois tiros nas costas. O criminoso fugiu, mas, horas depois, voltou e abusou sexualmente dela. O corpo do rapaz foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal de Curitiba. Com o desaparecimento do casal, os bombeiros do litoral foram acionados pelas famílias e iniciaram as buscas. O pai do rapaz e um vendedor ambulante encontraram as vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.