Falta de água põe Itu em estado de alerta

O prefeito de Itu, Lázaro José Piunti (PSDB), decretou estado de alerta no município. Falta água para abastecer a população, de 135 mil habitantes. No mesmo decreto, o prefeito autorizou o Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) a requisitar a água de mananciais subterrâneos privados. Com isso, a autarquia pode passar a recorrer a poços artesianos particulares para encher os caminhões-pipa que estão abastecendo os bairros onde a água não chega. A cidade está sob racionamento há dois meses. O rodízio foi ampliado nas duas últimas semanas e cerca de 80% da população urbana recebe água só durante a noite. As donas de casa transferiram para o período noturno algumas rotinas domésticas, como a lavagem de roupas e arrumação de cozinhas. A lavagem de calçadas e carros está sendo punida com multa, e o infrator pode ir para a prisão caso resista à ordem de cessar o desperdício. Os fiscais do Saae foram orientados para chamar a polícia em caso de resistência. A autarquia já requisitou, com o apoio do Ministério Público, a água de 12 represas particulares. O líquido foi transferido para as represas do Itaim e do Fubaleiro, que estavam praticamente secas. Ontem, o tempo permaneceu chuvoso durante mais de seis horas em Itu, mas as chuvas foram de pouca intensidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.