Falta de bilhete único irrita passageiros

Desabastecimento atinge terminais e lotéricas da capital; SPTrans nega

Bruna Fasano, O Estadao de S.Paulo

29 de setembro de 2008 | 00h00

Usuários do sistema de ônibus da capital têm enfrentado dificuldades para adquirir o bilhete único, em falta nos postos de recarga. Na semana passada, o Estado visitou guichês nas estações de metrô Barra Funda, na zona oeste, Tietê, na zona norte, Vila Mariana, na zona sul, e Sé, no centro. Em nenhuma foi possível adquirir o cartão."Estou tentando comprar o bilhete há três dias, sempre aqui na Estação Vila Mariana, e não encontro", afirmou a podóloga Flávia Almeida. "Sou obrigada a comprar os bilhetes unitários do metrô e pagar a passagem de ônibus em dinheiro." Caso o bilhete único estivesse disponível nas estações, Flávia calcula que teria economizado cerca de R$ 10, uma vez que o cartão magnético permite até quatro viagens no período de três horas cobrando uma única tarifa no valor de R$ 2,30.Questionada sobre a falta dos cartões no guichê da Barra Funda, a atendente de venda e recarga Cristina Regina informou que eles poderiam ser comprados nos terminais urbanos. Mas, depois de ficar 20 minutos na fila, a reportagem foi informada de que os bilhetes estavam em falta e não havia previsão de reposição. A Assessoria de Imprensa da São Paulo Transportes (SPTrans), empresa responsável por gerenciar o transporte coletivo da capital, negou que haja falta de cartões nos postos de venda. Pode ter ocorrido, segundo a empresa, uma falta momentânea das tarjetas, que já teriam sido repostas. Na lotérica Boa Sorte, no bairro do Limão, zona norte da capital, o gerente Fernando Souza confirma que os clientes estão reclamando. "Aqui não chegam bilhetes novos há mais ou menos duas semanas", afirmou. "As pessoas vêm procurar e digo que não tenho, não posso ajudar. Todo mundo sai reclamando."Nos horários de pico, o tempo nas filas de recarga costuma chegar a 20 minutos. Para emitir um novo bilhete, o processo demora, em média, dois minutos e meio.RECLAMAÇÕESDe acordo com a SPTrans, 200 mil novos bilhetes são produzidos por mês e entram em circulação. Atualmente, há cerca de 13 milhões de bilhetes em funcionamento, usados nos 15 mil ônibus que trafegam pelas ruas da capital. Reclamações sobre falta de bilhete único nos postos de recarga são recorrentes e começaram meses após o sistema ser implantado, em 2004.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.