Falta de cadeirinhas faz Salvador pedir suspensão de fiscalização

Segundo prefeitura, procura superou expectativas e produto se esgotou; multa está suspensa

Fabiana Marchezi, Central de Notícias

15 de setembro de 2010 | 14h20

SÃO PAULO - A falta de cadeirinhas no mercado de Salvador, na Bahia, levou a Superintendência de Trânsito e Transporte (Transalvador) a pedir a suspensão da fiscalização ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

 

Veja também: 

especialTire suas dúvidas sobre as cadeirinhas infantis

 

Segundo a prefeitura, a procura pelas cadeirinhas superou as expectativas e o produto esgotou. As fabricantes acreditam que em dois meses a situação esteja normalizada.

 

Diante da situação, o prefeito de Salvador, João Henrique (PMDB), enviou um documento ao Contran solicitando que os motoristas sejam multados somente quando os lojistas tiverem condições de atender à demanda pelo dispositivo. O pedido está sob avaliação.

 

Ontem, a Transalvador comunicou que está suspensa na cidade a multa a infratores. Apesar da decisão, o órgão afirma que continua realizando ações educativas para informar à população sobre a necessidade do uso do aparelho de segurança.

Tudo o que sabemos sobre:
cadeirinhas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.