Falta energia em municípios de Santa Catarina

Diversas cidades catarinenses, entre as quais Araranguá, Criciúma, Arroio do Silva, Tubarão, Laguna, Maracajá e Nova Veneza tiveram sérios problemas de abastecimento de energia elétrica em consequência do fenômeno climático -caracterizado como ciclone extratropical, por alguns técnicos, ou furacão, por outros -, que atingiu o Estado, segundo avaliação feita no final da manhã pela Central de Atendimento das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc).A regional da Celesc em Criciúma foi a mais demandada pela população, registrando 325 ocorrências de interrupção de energia elétrica, provocadas por quedas de árvores e destelhamentos que partiram cabos da rede elétrica, além de causarem avarias em caixas de distribuição. Segundo os funcionários da empresa, o fornecimento de energia está sendo restabelecido aos poucos, mas ainda não há previsão de quando o sistema voltará à normalidade total.Lista das cidades atingidas sairá ainda hojeA lista de 39 municípios atingidos pelo fenômeno climático no Estado de Santa Catarina, deverá ser divulgada durante a tarde, informou a assessoria de imprensa do governo estadual. "Faz pouco tempo que as aeronaves começaram a sobrevoar a região atingida no Estado, por isso ainda não temos a lista", explicou o assessor de imprensa Ênio Novaes.Segundo ele, a prioridade é o atendimento à população. Foi confirmada a morte de uma pessoa, até agora. Um homem, cuja idade não foi definida, morreu ao ter o automóvel atingido por uma árvore na região de Maracajá, próximo a Sangão e Araranguá, no sul de Santa Catarina, quase divisa com o Rio Grande do Sul. A BR-101, rodovia federal que liga os Estados gaúcho e catarinense, e dali para o resto do Brasil, continua interrompida. Enio Novaes avaliou, no entanto, que os motoristas que se dirigem do Rio Grande do Sul a Santa Catarina não devem utilizar a BR 116, rodovia federal que segue pelo interior do País e que seria uma alternativa. "Desaconselhamos o uso das rodovias que seguem por cidades da Serra do Mar, devido à forte incidência de chuvas, que dificultam o tráfego", justificou. O chefe da Companhia de Águas e Saneamento (Casan) do município de Garopaba, litoral-sul de Santa Catarina, Nazareno de Souza, informou que a cidade não foi atingida assim como Laguna e Imbituda. De acordo com ele, Içara e Rincão, municípios litorâneos a 200 quilômetros da capital catarinense Florianópolis, sofreram com o incidente climático. Em Imbituba, município que, segundo a Defesa Civil do Estado de Santa Catarina teria sido atingido, há ventos de 20 quilômetros por hora e chuva fraca, além de forte formação de nuvens ao Norte.Leia maisTorres teve 400 casas destelhadas e 150 desabrigadosFenômeno climático teve dois picos, diz Climer/EpagreFenômeno ainda gera dúvidasCiclone mata 1 e deixa mais de 100 desabrigados no Sul

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.