Falta espaço e presos voltam para caminhão em Ubatuba

Quatorze homens que estão detidos no parlatório da cadeia feminina de Ubatuba, Litoral Norte Paulista, tiveram que passar a quinta-feira, 10, presos num caminhão por falta de espaço na carceragem. Esta foi a segunda vez que os presos foram colocados dentro do veículo, que fica estacionado no pátio da delegacia da cidade. A cadeia, que está com 70 mulheres, cinco menores e 14 homens, tem apenas quatro celas.Como esta quinta-feira foi dia de visita e o parlatório precisava ser usado, a Polícia Civil não teve outra saída. "Sabemos que não é o ideal, é claro que não é o correto, mas todos os dias pedimos vagas e transferências para a Secretaria de Segurança Pública do Estado", relatou o delegado seccional interino do Litoral Norte, Odair Bruzos. Todos os homens que são presos em Ubatuba não podem ir para as cadeias de São Sebastião e Caraguatatuba por que a Justiça impede a transferência para estes dois lugares, que estão superlotados e sem nenhuma estrutura de receber mais pessoas. "Se transferirmos os presos para São Sebastião ou Caraguá vamos desobedecer uma ordem judicial". A Justiça impede que as duas cadeias recebam presos de outras cidades. Por este motivo, segundo Bruzos, a medida foi necessária para que as detentas não fiquem sem visitas. "Se a gente suspende a visita por falta de espaço corre o risco de uma rebelião." Apesar do forte calor, os presos aceitaram a carceragem improvisada de forma pacífica e receberam água e comida durante todo o dia. No final da visita, depois das 17 horas, retornaram para o parlatório. Por meio da assessoria de imprensa a Secretaria de Segurança Pública informou que tem feito o pedido de transferência para a Secretaria de Administração Penitenciária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.