Família de artesão é morta no litoral norte do RS

A polícia da pequena cidade de Balneário Pinhal (RS), no litoral norte gaúcho, a 110 quilômetros da capital Porto Alegre, está à caça dos criminosos que invadiram, no final da noite da última quarta-feira, a casa do artesão Vitor Paulo Lucena Mouchit, de 58 anos, localizada na Rua Navegantes, no centro do município. O artesão, sua esposa, Stanislawa Mankowski de Souza, 58, e a filha do casal, Márcia Mankowski de Souza, 31, foram encontrados mortos pela Polícia Militar na manhã de ontem. As vítimas estavam com pés e mãos amarrados; além de marcas de arranhões e sinais de estrangulamento.O marido de Márcia, Andrea Massa, de 35 anos, na noite do assassinato, segundo a polícia, ligou para o celular da mulher. Márcia atendeu e demonstrando muito nervosismo parou de responder às perguntas de Andrea, que ouviu vozes estranhas ao celular. Imediatamente, Mass ligou para a Brigada Militar, mas quando os policiais chegaram na casa do artesão, este, a esposa e a filha já estavam mortos. O delegado da cidade, Jorge Melgar pede à população que passe informações à polícia pelo disque-denúncia, cujo telefone é 0(xx)51 3288 5100.Aparentemente nada foi levado da casa; inclusive uma quantia em dinheiro que ainda estava no bolso da calça do artesão. A polícia trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), mas o delegado não descarta a possibilidade das vítimas terem sido assassinadas por outro motivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.