Família de índio que caiu de palanque solicitará aposentadoria

A família do tikuna Nazareno Joaquim Ramos, de 28 anos, vai solicitar à coligação Pelo Bem do Amazonas (PMDB, PTB, PRTB, PMN e PP) uma aposentadoria por invalidez para o agricultor, que ficou paraplégico depois de cair, no dia 15, de um palanque onde discursava o candidato à reeleição ao governo da coligação, Eduardo Braga (PMDB).A informação é do coordenador da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), Jecinaldo Cabral, que defendeu ainda a remoção do indígena para um hospital, já que ele está em um pronto-socorro há quatro dias, desde que foi transferido para Manaus de onde sofreu o acidente, em Benjamim Constant, a 1.126 quilômetros de Manaus."Também vamos solicitar ao Ministério Público Federal a investigação sobre a responsabilidade no acidente, para pedir uma indenização ao Estado ou à coligação", afirmou Jecinaldo. De acordo com a assessoria da coligação, o palanque cedeu porque havia superlotação. Ficaram feridas seis pessoas, entre elas o governador Eduardo Braga, a primeira-dama Sandra Braga e o candidato ao senado pelo PMDB, Gilberto Mestrinho. O caso do indígena foi o único grave.Nesta terça-feira, 19, o boletim médico sobre o estado de saúde de Nazareno disse que ele continua com o quadro de paralisia dos membros inferiores, mas estável e sem febre. De acordo com a assessoria da secretaria de Saúde do Estado (Susam), depois de realizada a ressonância magnética da lombar do paciente, prevista para ser realizada na quarta, ele deverá ser transferido para um hospital da capital.Segundo Cabral, Nazareno tem três filhos e, na aldeia São Leopoldo, a cinco quilômetros de Benjamim Constant, é uma liderança. "Ele é agricultor e atua como voluntário como intérprete dos tikunas, já que domina o português", contou. De acordo com o coordenador da Coiab, a família do paciente estava tendo "informações desencontradas" sobre ele, daí a Coiab ter ido ao hospital. "Até agora, o atendimento está sendo correto, inclusive amanhã (20) o governo estadual deverá trazer a mãe do paciente para Manaus, para revezar com o irmão dele, Samuel, que está há quatro dias no hospital com Nazareno."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.