Família de Lula decide não ir ao enterro do sub-tenente Tomasi

A família do presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu não ir ao enterro do corpo do sub-tenente do Exército Alcir José Tomasi em Santa Maria (RS). Lula em viagem, seria representado pelo ministro das Cidades, o gaúcho Olívio Dutra. A primeira-dama, Marisa Letícia, e o filho Sandro Luís deverão visitar a viúva do sub-tenente, Lúcia Tomasi, assim que ela voltar para Brasília. Sandro e a namorada, Marlene de Araújo, enviaram um telegrama de condolências à família de Tomasi e a primeira-dama pediu que fosse entregue uma coroa de flores em nome dela e do presidente. Marisa permaneceu no Palácio da Alvorada com os filhos Sandro e Luiz Cláudio durante o feriado, abalada com a morte de Tomasi, considerado pela família uma pessoa dedicada, afetuosa e educada. Desde que o marido assumiu o poder, a primeira-dama e os filhos do presidente sempre fizeram questão de manter um relacionamento próximo com a equipe de segurança. Hoje, a família recebeu vários telefonemas em solidariedade. Antes de embarcar para Washington, o presidente Lula lamentou a tragédia em conversas com ministros, parlamentares, amigos e governadores. Entre os que fizeram questão de ligar para o presidente estão o governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), e o do Mato Grosso do Sul, Zeca do PT. O presidente foi informado da morte do sub-tenente, que estava internado no Hospital Bartira, em Santo André (Grande São Paulo), pelo coronel Gonçalves Dias, chefe do serviço de segurança da Presidência da República, o mesmo que deu a notícia do assalto ao presidente na noite de ontem. Em nota distribuída no final da manhã pela secretaria de comunicação da Presidência da República, o presidente manifestou "ao povo brasileiro sua dor pela morte" de Tomasi e reiterou a necessidade de o governo dar ênfase ao combate à violência "seja em suas raízes estruturais, seja em sua manifestação cotidiana que leva a intranqüilidade a todos os cidadãos brasileiros". Na manhã de hoje, assessores do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República se reuniram para tratar das providências que seriam tomadas de apoio à família do sub-tenente. Eventuais mudanças no esquema de segurança só serão discutidas após a conclusão do inquérito policial militar instaurado pela Presidência da República para apurar a morte do sub-tenente. » Seguranças de filho de Lula são baleados » Polícia caça ladrões que balearam seguranças do filho de Lula » Lula foi informado do roubo de carro da escolta do filho » É grave o estado de saúde do segurança do filho de Lula » Governo divulga nota sobre ataque a seguranças do filho de Lula » Filho de Lula viajou para Brasília » Morre segurança do filho de Lula » Corpo do subtenente será trasladado para Santa Maria (RS) » Ladrão que baleou segurança já tem retrato falado » Morte de segurança é aviso para governos, diz Genoino » Polícia tem pista de assassinos de segurança, diz Alckmin » Polícia detém dois suspeitos do assalto aos seguranças » Lula manifesta em nota pesar pela morte de subtenente »Cabo que fazia a segurança reconhece os assaltantes » Bairro tranquilo de Santo André vira cena do crime

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.