Família de preso morto em Brasília vai receber R$ 30 mil

O Distrito Federal foi condenado a pagar uma indenização de R$ 30 mil à família de um preso assassinado há 10 anos no Centro de Internação e Reeducação (CIR).Segundo o Tribunal de Justiça (TJ) do Distrito Federal, apenas em 1998 a mulher de Geová Souza da Costa soube o real motivo da morte, que foi perfuração no tórax ocorrida durante uma briga.Baseados em jurisprudência do STF, os desembargadores da 2ª Turma Cível do TJ concluíram que o Estado tem o dever de garantir a integridade física dos presos. Autora da ação, a filha de Geová, que tinha na época 8 anos, conseguiu garantir meio salário mínimo por mês até completar a maioridade ou terminar os estudos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.