Família de vítima do vôo 1907 receberá pensão da Gol

A família de Quézia Gonçalves Moreira, uma das 154 vítimas do acidente com o Boeing da Gol, ganhou no Tribunal de Justiça do Rio o direito de receber da companhia aérea R$ 3,5 mil mensais, a título de pensão alimentícia. A indenização deve começar a ser paga no próximo dia 25. A Gol Transportes Aéreos foi intimada a depositar a quantia em juízo. A multa diária para o descumprimento da decisão é de R$ 500,00. O juiz Mauro Nicolau Júnior, da 48.ª Vara Cível da capital fluminense, decidiu antecipar a indenização porque Quézia contribuía no sustento dos pais e do irmão. "De nada valeria a eventual vitória processual se a família não tem meios necessários sequer para fazer frente às necessidades básicas de subsistência, situação à qual restaram os autores por conta do acidente que retirou a vida de quem os auxiliava nas necessidades financeiras", escreveu o juiz na decisão. Os parentes de Quézia não foram localizados pelo Estado. O acidente com o Boeing 737-800 da Gol aconteceu em 29 de setembro do ano passado. O avião caiu no Mato Grosso, depois de um choque com o jato Legacy pilotado pelos americanos Joseph Lepore e Jan-Paul Paladino, que foram retidos no Brasil após o desastre e estão indiciados pela Polícia Federal. A queda do Boeing pôs o sistema de controle aéreo brasileiro no centro de uma polêmica, expondo suas falhas e deficiências. Liberados pela Justiça, Lepore e Paladino voltaram para os Estados Unidos.

Agencia Estado,

16 Fevereiro 2007 | 19h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.