Família é executada na zona norte do Rio

Comerciante foi alvejado dentro da loja em que trabalhava; em uma ação rápida, assassino também atingiu a mulher e a filha da vítima

Pedro Dantas, RIO, O Estadao de S.Paulo

31 de dezembro de 2008 | 00h00

Três pessoas de uma mesma família foram enterradas ontem no Cemitério de Irajá, zona norte do Rio. O comerciante Fagner Thiago Francisco, de 34 anos, a mulher, Lídia Lopes da Fonte, de 33, e a filha Tainá Fernandes, de apenas 3 anos, foram baleados na segunda-feira por dois homens na loja de consertos de celulares em que o casal trabalhava, em Anchieta. A criança foi atingida na cabeça e nas costas pelos disparos de pistola 9 mm que atravessaram o corpo da mãe, que se jogou sobre a filha para protegê-la dos tiros. Os pais morreram na hora. A menina chegou a ser operada, mas não resistiu aos ferimentos e morreu anteontem.A dinâmica do assassinato, que durou menos de um minuto, levou a polícia a tratar o caso como em uma execução, pois nada foi roubado e os assassinos colocaram toucas ninjas antes de entrar na loja, por volta das 17 horas. A linha de investigação mais forte é que o crime foi um acerto de contas. No entanto, a motivação ainda é mantida em sigilo pelos policiais. Investigadores da 39ª Delegacia de Polícia da Pavuna (zona norte) informaram que as investigações estão avançadas. Eles ouviram ontem pessoas ligadas ao casal e acreditam que os autores podem ser identificados nos próximos dias.Em uma ação rápida, Francisco foi baleado duas vezes na barriga e Lídia, abraçada à filha, foi atingida nas costas. A violência e a frieza do crime chocaram os comerciantes de Anchieta e os familiares do casal, que estavam revoltados ontem no enterro da família."O nosso único suspeito é um cliente que agrediu verbalmente o meu irmão na semana passada por causa do reparo de um aparelho. É a única motivação clara, pois meu irmão não tinha inimigos", afirmou após o sepultamento o irmão de Francisco, o motorista de ônibus Luiz Claudio Thiago Cunha.Cerca de 50 pessoas acompanharam a cerimônia. O casal deixou órfão um outro filho e Francisco ainda tinha uma outra filha, de outro casamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.