Família lavou sangue de comerciante

O Instituto de Criminalística informou que a cena do crime onde morreu Altair Aparecido dos Santos, de 44 anos, assassinado com um tiro no peito no domingo, em sua chácara em Limeira, foi alterada. Segundo o investigador Gildo Ciola, o local foi lavado. "A família lavou o lugar porque o filho da vítima estava na casa e ninguém queria que ele visse o sangue." Santos ganhou com 13 colegas R$ 16 milhões na Mega-Sena.Ontem a polícia ouviu três parentes e foi informada de que o crime teria ocorrido às 19h30, mas a Polícia Militar foi avisada às 21 horas. A demora teria ocorrido porque a família pensou em socorrê-lo. Parentes apontam como suspeito Dorgival de Oliveira, de 52 anos, que, por não pagar a aposta, ficou de fora do rateio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.