Família não reconhece corpo de jogador americano

Corpo que a polícia acredita ser do atleta foi encontrado em decomposição, no domingo

Paulo R. Zulino, estadao.com.br

20 de novembro de 2007 | 11h02

O corpo que pode ser do jogador americano de basquete Tony Lee Harris não foi reconhecido pelo sogro dele, que compareceu na segunda-feira, 19, ao Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Goiás, as dificuldades para o reconhecimento se devem, entre outras coisas, ao adiantado estado de decomposição do cadáver.   O corpo que a polícia acredita ser do atleta foi localizado, no último domingo, 18, em um matagal situado numa área pertencente ao Exército em Formosa, interior goiano. Acredita-se que o cadáver, encontrado pendurado numa árvore, a 20 centímetros do chão, com um cadarço de tênis no pescoço, estivesse ali há pelo menos 15 dias.   Devido às dificuldades para a identificação, legistas solicitaram à Embaixada dos Unidos, em Brasília, o fornecimento das digitais e a ficha dentária do atleta. Se esses dados ainda não forem suficientes para o reconhecimento, deverá, então, ser realizado o exame de DNA. Um agente do FBI também deverá acompanhar as investigações para o total esclarecimento do caso. Inicialmente, foi levantada a possibilidade de suicídio, mas a hipótese de assassinato não foi descartada pela polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.