Família pede que criminalista defenda estudante de direito

A família da estudante de Direito Ana Paula Jorge Sousa, presa na quarta-feira passada sob suspeita de roubo e formação de quadrilha, pediu nesta segunda-feira formalmente ao criminalista Ralph Tórtima Stettinger que assuma a defesa da universitária de 21 anos. De classe média alta, bonita, Ana Paula disse ter aceitado ajudar o namorado Raoni Renzo Miranda, 18 anos, e outros dois amigos dele, nas fugas de assaltos a pelo menos quatro casas lotéricas de Campinas, interior de São Paulo. "Eu estava fora de Campinas, mas ela (Ana Paula) pertence a uma família muito conhecida e respeitada. Vou examinar os inquéritos e definir um posicionamento quanto a assumir ou não a causa", afirmou Stettinger, que já representou a família do prefeito de Campinas Antônio da Costa Santos (PT), assassinado em setembro de 2001, e foi contratado pelo ex-prefeito de Vinhedo, Milton Serafim, para defendê-lo em processo em que o ex-tucano é acusado de cobrar propina para aprovar loteamentos. Na sexta-feira, a Justiça decretou prisão preventiva de Ana Paula Sousa, do namorado, e de Leandro Lima e Orlando Carpino, ambos com 25 anos. A garota Ana Paula foi reconhecida por uma vítima de assalto à residência como participante da ação. Lima e Carpino disseram à polícia que a universitária tinha voz ativa nos assaltos. A polícia ainda procura Miranda, foragido. A universitária de classe média alta está presa em Indaiatuba, numa cadeia feminina com capacidade para 36 mulheres e pelo menos 160 detentas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.