Família respeitará privacidade de ex-miss, diz ONG

O presidente da ONG Associação Brasileira no Reino Unido (Abras), Carlos Mellinger, disse nesta terça-feira que a ex-miss Brasil, Taiza Thomsen, de 24 anos, já teria entrado em contato com a família no Brasil. Segundo Mellinger, Taiza conversou com o tio, Mauro Silva Aquino, e disse que estava bem, vivendo em Londres e que não queria voltar ao Brasil nem manter contato com os pais. A família da ex-miss Brasil Taiza Thomsen disse que vai "respeitar e apoiar incondicionalmente" a decisão da filha de permanecer isolada em Londres. Na segunda à noite, o delegado da Polícia Federal, Marcos David Salem, disse que o caso está encerrado no Brasil. Salem afirmou que o contato foi feito no sábado. Taiza afirmou que "permanece (em Londres), não desejando ser incomodada por ninguém, não demonstrando estar coagida, sendo um direito seu manter-se isolada". A nota da Polícia Federal diz que as investigações estão encerradas e que iria comunicar a Scotland Yard e a Interpol para cessarem as buscas. Investigações As circunstâncias do desaparecimento da ex-miss Brasil levaram o caso às páginas dos jornais ingleses e brasileiros. A pedido da Polícia Federal brasileira, a Interpol abriu uma investigação. A Scotland Yard - polícia londrina - fez e distribuiu um cartaz com o rosto de Taíza. Segundo Carlos Mellinger, a brasileira teria sido vista no dia 23 de janeiro por uma pessoa que ligou para a entidade, após tê-la reconhecido em um cartaz distribuído pela ONG. "Segundo ela (a pessoa que ligou), Taiza estaria muito bem vestida, aparentando boa saúde, sem parecer nervosa", ele afirmou. Mellinger afirmou que o local onde Taiza teria sido vista não é um estabelecimento ligado à indústria do sexo. O dono de um clube de strip-tease londrino afirmou ter contatado a polícia dizendo que Taiza trabalhou como dançarina em sua boate por cerca de dois meses em 2006. Taiza ficou em segundo lugar no concurso Miss Brasil 2002, mas ganhou o título após a vencedora, Joseane Oliveira, admitir que era casada, o que é proibido pelo regulamento da competição. No dia 25 de janeiro de 2007, a família da ex-miss anunciou que ela estava desaparecida.

Agencia Estado,

06 Fevereiro 2007 | 11h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.