Familiares de vítimas da Gol reclamam do tratamento da Anac

Parte dos integrantes da comissão de familiares dos passageiros do vôo 1907 da Gol, divulgou nesta segunda-feira, 02, uma nota criticando a forma como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vem tratando o acidente aéreo. No texto, os familiares se dizem indignados e afirmam que os dois superintendentes enviados pela agência para conversar com os familiares, não estavam preparados para responder às questões. De acordo com a nota, os representantes da agência chegaram a usar de arrogância em alguns momentos. A nota segue afirmando que somente depois de muita pressão, os parentes das vítimas conseguiram um contato com a diretora da Anac, Denise Aires Abreu, que, segundo o comunicado, se recusou a receber todos os familiares e só aceitou falar com uma pequena comissão, formada por seis pessoas. Os familiares reclamam, inclusive, que no domingo, 1º, a diretora concedeu entrevista coletiva, após as 17 horas, antes de atender as famílias.A comissão acusa ainda a Anac de tratar o assunto de maneira desrespeitosa. Segundo a nota, uma autoridade da Anac chegou a se dirigir aos familiares afirmando: "Vocês são inteligentes. O avião caiu a 11 metros de altura, a 400 quilômetros por hora. O que vocês esperavam, corpos?".A nota conclui afirmando que quer um tratamento respeitoso das autoridades, com informações claras e periódicas da real situação. "Precisamos acabar com essa angústia e tortura psicológica e essa falta de informação. Estamos nos sentindo enganados, desrespeitados e abandonados na nossa dor e no difícil momento que estamos vivendo", afirma a nota.DesculpasA diretora da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), Denise Ayres de Abreu, esteve na tarde desta segunda no hotel onde os familiares das vítimas do acidente da Gol estão hospedados, em Brasília. Ela foi se desculpar pelas declarações que deu no domingo, apontadas pelos familiares como desrespeitosas. Ao falar sobre a gravidade do acidente,a diretora da Anac questionou aos repórteres se eles esperavam encontrar corpos no local. Um grupo de familiares que visitou o local do acidente nesta segunda deverá se reunir com o ministro da Defesa, Waldir Pires.Matéria ampliada às 16h15 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.