Familiares de vítimas da TAM esperam por punições

Familiares das vítimas do voo 3054 da TAM manifestaram convicção de que os responsáveis pela tragédia que matou 199 pessoas em junho de 2007, em São Paulo, serão punidos. Para eles, a suspensão do processo por fraude processual contra a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu é uma discussão jurídica. O presidente da associação dos familiares (Afavitam), Dario Scott, lembrou que há duas ações separadas em andamento: o processo no Ministério Público Federal e o inquérito da Polícia Federal que apura a causa da tragédia. O desembargador Luiz Stefanini suspendeu por liminar a ação contra Denise por "falsificação de documento público e uso de documento falso". Ela, como diretora da Anac, apresentou ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região como norma um documento que era apenas estudo. A desembargadora Cecília Marcondes, então, liberou a pista do Aeroporto de Congonhas para aviões de grande porte. "Como é liminar, o caso depende ainda do julgamento do mérito", afirmou Scott.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.