Familiares fazem homenagem às vítimas da tragédia em Santa Maria

Um ano após o incêndio, pai de jovem morta diz que aprendeu a dar mais valor à vida

Alessandra Noal, Especial para O Estado

20 Janeiro 2014 | 16h12

SANTA MARIA - Na manhã desta segunda-feira, 20, a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) deu início às ações relacionadas ao primeiro ano do aniversário da tragédia na Boate Kiss, que aconteceu no dia 27 de janeiro do ano passado e matou 242 pessoas.

A primeira atividade foi uma caminhada, que iniciou às 8h. Cerca de 150 pessoas, entre familiares, amigos e moradores da região se reuniram em frente à Igreja Nossa Senhora de Fátima e andaram em direção ao Santuário Basílica Nossa Senhora Medianeira.

Ao chegarem, por volta das 9h, uma missa foi presidida pelo arcebispo da Diocese de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert, e cerca de dez padres. O canto ficou por conta do Coral da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A igreja ficou lotada. Foram levados banners, faixas, fotos e imagens das vítimas da tragédia, com pedidos de justiça.

Depoimento. O presidente da associação, Adherbal Ferreira, relata que, após um ano da tragédia, se sente mais amadurecido como ser humano e aprendeu a dar mais valor à vida. Adherbal perdeu a filha Jennefer Ferreira, de 19 anos, morta no incêndio. Ele diz, entretanto, que sente muita tristeza com a ganância que ainda toma conta de algumas pessoas que continuam tendo atitudes irresponsáveis.

A continuação das homenagens acontecerá nos dias 25,26 e 27. A AVTSM realizará o I Congresso Internacional Novos Caminhos - A vida em transformação. Estão previstos debates, rodas de conversa e palestras sobre a importância do cumprimento das leis, além de alertas à população quanto à necessidade de prevenção.

Mais conteúdo sobre:
santa maria boate kiss incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.