Familiares identificam cinco corpos de garimpeiros

Dos 26 corpos resgatados esta semana pela Polícia Federal da reserva indígena Roosevelt, sudeste de Rondônia, cinco foram identificados por familiares de garimpeiros na tarde desta terça-feira. O Instituto Médico Legal de Porto Velho só irá divulgar os nomes dos mortos amanhã, após a confirmação das identidades por exame de DNA. A assessoria da Polícia Civil de Porto Velho, segundo a Agência Brasil, garante que a necropsia de todos os corpos termina ainda hoje. Um esquema diferenciado de trabalho foi montado no IML. Seis equipes trabalham desde a madrugada de ontem. Cada uma delas é formada por dois médicos, um papiloscopista, um técnico de necropsia e um odontólogo legal.A Polícia Federal acredita que os garimpeiros foram assassinados há treze dias em um confronto com índios da etnia cinta larga. Três corpos haviam sido resgatados na região há uma semana. Mas apenas um deles foi identificado por parentes e amigos. A causa mais provável do conflito é a disputa por jazidas de diamante, descobertas na reserva em 1999. A notícia sobre asmortes levou familiares de garimpeiros a viajar de vários estados do país para Rondônia. Neste momento, 41 parentes aguardam por informações na porta do IML da capital do estado.

Agencia Estado,

20 de abril de 2004 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.