WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Famílias barram despejo no Jardim Botânico

Foi o segundo dia consecutivo de manifestações. No domingo, o parque chegou a ser fechado por três horas

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

28 de março de 2016 | 20h56

RIO - Em protesto contra o despejo anunciado pelo governo federal, moradores de áreas de posse incorporadas ao terreno do Jardim Botânico do Rio interditaram o estacionamento dos funcionários, na manhã desta segunda-feira, 28. Foi o segundo dia consecutivo de manifestações. No domingo, o parque chegou a ser fechado por três horas. O despejo, que começaria ontem, foi cancelado e não há nova data para acontecer.

A intenção do governo federal é remover as 520 famílias que moram nas regiões que agora integram o perímetro do Jardim Botânico. Não há mais recurso judicial possível para parte dos moradores. Como o Jardim Botânico conseguiu o registro oficial do aumento de seu território, as comunidades vizinhas foram incorporadas. 

A presidente da Associação dos Moradores do Horto, Emília Souza, que representa as famílias atingidas, afirmou que o desejo é ficar na região. 

Tudo o que sabemos sobre:
Jardim Botânico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.