Reuters
Reuters

Famílias das vítimas no Rio têm esperança de sobreviventes

Missa ecumênica reuniu cerca de 2 mil pessoas e contou com a presenta de Celso Amorim e ministro francês

Felipe Werneck, Agência Estado

04 de junho de 2009 | 11h51

A prima do maestro Silvio Barbato, um dos brasileiros desaparecidos no Voo 447 da Air France, Ana Cláudia Bomaccorsi Dutra, de 42 anos, disse, ao chegar para a missa, que "só quem está na pele do que aconteceu é que pode saber a dor." Ana Cláudia disse que, "no fundo", ainda acredita que o primo está vivo. "A dor é muito grande. Lá em casa, as pessoas choram muito. Eu fiquei meio em estado de choque. Eu sou uma pessoa que não conseguiu acreditar ainda", lamentou.

 

Na manhã desta quinta, foi realizado um ato ecumênico em homenagem às vítimas do acidente com o Airbus na Igreja da Candelária, no Rio. Segundo a Reuters, a missa reuniu 2 mil pessoas. Lula foi representado pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. O ministro de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, também compareceu.

  

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

lista Voo 447: Veja os nomes de todas as nacionalidades; são 102

lista Air France divulga lista de brasileiros no Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especial Conheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris  

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

video Entenda a operação que localizou destroços

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

linkApenas 4 minutos da 1ª pane até a queda
linkAirbus voava em velocidade 'errada' e teria se 'desintegrado'

linkPiloto viu clarão na rota do Voo 447, informa jornal espanhol

 

Ana Cláudia disse que o consolo "é que existe um Deus vivo e verdadeiro". "Tenho esperança de que alguém esteja numa boia, lutando pela vida. Acho que existe um Deus de milagre", disse, emocionada. Antes de entrar na igreja, ela pediu para ler um texto que escreveu em homenagem ao primo.

 

"Seu nome é Silvio Barbato, seu nome é Silvio amor. Abre-se o primeiro ato do genial compositor. O avião decola na pista. E Silvio abraça o cientista. É artista. É herói. Saudade da pátria lhe dói. Terra Brasilis estima. Leva outra obra prima. Compõe nas alturas. Melodias de guerreiro. Revisa partituras. O momento é derradeiro. Chega o segundo ato. Bate forte o coração. Maestria do Barbato. Entoa a mais linda canção. Mamãe, te amo tanto. Mamãe, não quero o teu pranto. Dá aos meus acalanto. Pois seu viver é santo."

 

Além da presença de familiares e amigos das vítimas e autoridades locais, a cerimônia contou com a presença dos ministros das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, e da França, Bernard Kouphner. Segundo a agência EFE, o presidente Luís Inácio Lula da Silva, que chegou na madrugada desta quinta, 4, de uma viagem da Costa Rica, poderia participar da missa, o que não aconteceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.