Famílias de 2 gerentes do BB são capturadas por bandidos

As famílias de dois gerentes do Banco do Brasil, de cidades diferentes do Paraná, foram mantidas como reféns durante toda a noite de ontem, para que ladrões efetuassem roubos nas agências. Até o início desta tarde, ninguém tinha sido capturado. A polícia ainda não levantou o valor roubado e o banco, que manteve as duas agências fechadas, também não divulgou.Um dos assaltos ocorreu em Medianeira, a 590 quilômetros de Curitiba, no oeste do Estado. Segundo a polícia, o gerente Eduardo Ludke foi abordado em sua casa, junto com a esposa e um filho, de 14 anos, por volta das 19 horas de ontem. Pelo menos quatro homens participaram do assalto. Hoje, por volta das 7h30, os criminosos foram com o gerente à agência, enquanto os familiares ficaram amarrados em casa. O gerente desligou o alarme e eles ficaram aguardando a chegada do tesoureiro. Dois funcionários foram rendidos nesse período. Os assaltantes fugiram no Astra do próprio gerente, veículo encontrado mais tarde na estrada que liga o município a Foz do Iguaçu. Apenas um dos assaltantes usava luvas, mas nenhum tinha qualquer objeto que dificultasse a identificação. A perícia deve fazer os retratos-falados. O outro assalto aconteceu em Dois Vizinhos, a 470 quilômetros de Curitiba, no sudoeste do Estado. Cinco homens armados renderam em casa o ex-gerente de expediente, que deixou o cargo sexta-feira, Jandir Rizzo, sua mulher e os dois filhos, de 10 e 12 anos, por volta das 20 horas. Pela manhã, um ficou na casa, onde já tinham rendido também a empregada, e quatro seguiram com o gerente ao banco no Polo Classic de Rizzo. Às 7h30, o gerente geral Adejalmo Mella chegou e foi rendido. Logo depois, três clientes também foram tomados como reféns, ao chegarem ao auto-atendimento. Às 7h45, chegou o atual gerente de expediente, Waltencir Lopes dos Santos, que tinha a chave do cofre. Além dele, também foram rendidos outros três funcionários. Os assaltantes levaram todo o dinheiro do banco, deixando apenas notas e moedas de R$ 1,00. Eles fugiram pelos fundos, levando o carro da vítima. Depois do término do assalto, telefonaram para a casa do ex-gerente, e o outro assaltante fugiu. O delegado Sebastião Gaspar disse ter conseguido várias impressões digitais e também fará o retrato-falado, visto que nenhum usava máscaras. "Tenho forte expectativa que em breve teremos solucionado o assalto", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.